Projeto com crianças dos presídios na Bolívia na Revista Ultimato

ultimato (4)

Leia a matéria, Saiu na Ultimato de Set/Out 2015:

As crianças presas em Puerto Suarez

Elas são crianças e vivem encarceradas. Mas nunca cometeram crime algum. O que parece um erro judicial acontece normalmente na Bolívia. Segundo o UNICEF, no período de 2000 a 2008, as crianças que moraram em presídios com seus pais chegaram ao número de 1.168 (17% da população carcerária). As crianças representam mais de 42% (quase 4 milhões) da população boliviana.

O brasileiro Ricardo Silva, o “Ricco”, chegou em Puerto Suarez, fronteira com o Brasil, com a missão de fundar igrejas. Ele passaria um tempo específico para cumprimento do estágio transcultural do curso teológico que fazia. Ricco começou a visitar a população, e um dia foi convidado a realizar um culto na cadeia da cidade. Chegando lá, ele viu crianças brincando e achou que era dia de visita familiar, e logo disse: “eu volto outro dia; hoje é dia de visita”. Mas o guarda respondeu: “não, não é dia de visita”. Então Ricco entendeu que aquelas crianças não estavam visitando suas mães; elas moravam lá.

Ricco não abandonou seu chamado de fundar comunidades cristãs. Mas entendeu que Deus havia dado a ele a missão de acolher crianças que não podiam exercer o direito básico da liberdade porque suas mães estavam cumprindo penas. Ele então fundou a Casa Lar Redención. Começou assim: ele e sua família cuidavam dos pequenos durante o dia e os levavam de volta para a cadeia à noite. Hoje, as crianças moram lá e recebem todo o cuidado necessário. A estrutura é pequena, mas é a única instituição num raio de 300 quilômetros. O projeto, que hoje cuida de 13 crianças, se tornou um poderoso testemunho do amor de Deus.

Ricco chegou com um plano – fundar igrejas. Mas lá, descobriu que já havia muitas igrejas. Por outro lado, ninguém enfrentava o problema das crianças na cadeia. Ricco entendeu que o plano seria outro; seria responder às necessidades dos pequeninos. Moral da história? Atualmente, nenhuma criança mora na cadeia de Puerto Suarez.

Fonte: Revista Ultimato / texto de Lissander Dias

O cuidado que não é cuidado

Eu amo ensinar a Bíblia para as crianças do orfanato. E elas ainda recebem comida, uma boa cama, educação, saúde. Mas tenho sido incomodado com um pensando, e esta ideia me aflige especialmente quando saio do orfanato a noite e volto para minha casa. Quais os cuidado que uma criança precisa? Eu nunca vou suprir o que elas realmente precisam, todo amor e afeto que dou a elas nunca será igual ao amor e afeto que uma criança recebe em um contexto familiar.

email_familia

Deus tem me desafiado a me envolver mais ainda com elas. E isto não tem a ver com dar um bom par de tênis ou fazer um churrasco de vez em quando no orfanato, tem a ver com amor, afeto, carinho, envolvimento. Eu sei que nunca vou conseguir tratar estas crianças como trato minhas filhas Rebeca e Rafaela, mas Deus tem me cobrado para amá-las mais. E eu achando que fazia muito (pobre orgulho), Deus vem e mostra que é possível amar mais. Estou fazendo um desabafo, conto com suas orações por isto!

“Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.” 1 Coríntios 13.13

Ore também pela saúde da Lari, a gravidez e o bebê que vem ai, ore pela Rafaela que tem estado mal de saúde nestes dias.

Se além de orar, quiser contribuir com o sustento de nossa família, clique aqui ou entre em contato.

Valeu

Ricco

Nosso papel é ser um pouco de cada…

DSC09405blog

Um pouco pai, um pouco pastor, um pouco amigo, um pouco educador.

É assim que seguimos nosso ministério aqui na Casa Lar da Expedição Mochila na Bolívia. Na foto comigo estão o Carmelo, o Isael e o Erlan. Três garotos que chegaram aqui por motivos diferentes e temos aprendido juntos sobre o amor de Deus e a amizade.

É um prazer e um privilégio servir aqui ao lado deles aqui sendo um pouco de cada vez a cada dia!

“…Sé fiel hasta la muerte, y yo te daré la corona de la vida.” Apocalipse 2.10 RV

Ricco

Crianças brincando de barro no orfanato na Bolívia

Um pequeno vídeo, que por sinal está com a resolução bem ruim, das nossas filhas Beca e rafa brincando com os garotos do orfanato aqui na Bolívia. Foi um dia de criança, se sujaram bastante e se divertiram com água, terra e barro. Mas foi um dia muito especial, onde eu lembrei que estas crianças do orfanato são apenas crianças.

São o nosso ministério, temos que garantir comida, estudo bíblico, escola e cuidados médicos. As vezes esqueço que são apenas crianças que Deus colocou para nós cuidarmos, crianças que por algum motivo estão sem suas famílias. Realmente foi um dia muito bom para eles e para eu e a Lari também!


caso não veja o vídeo acima clique aqui

Até mais

Ricco

Saiba mais sobre o orfanato na Bolívia

niños carcel bolivia orfanatocrianças no orfanato da Expedição Mochila na Bolívia

O orfanato aqui na Bolívia começou e estamos caminhando, aprendendo, descobrindo. Tem sido uma boa experiência cuidar dos garotos aqui. O nosso plano original era tirar as crianças do presídio de Puerto Suarez, e cumprimos esta tarefa. Estamos fazendo mais, pois a Defensoria de la Niñez da cidade tem nos enviado crianças órfãs, abandonadas e com todo tipo de abuso e exploração.

Uma boa maneira de ficar informado sobre o orfanato é dar um CURTIR na página da Expedição Mochila no Facebook.

Eu montei uma lista com vários links de matérias, vídeos, reportagens e outras informações sobre as crianças nos presídios da Bolívia. Tem matéria da TIME e da BBC, vídeos de ministérios que atuam na Bolívia e bastante coisa para você se informar. Clique aqui e veja a lista, e aos poucos pode ir tomando conhecimento do tamanho do desafio que estamos envolvidos ao decidir trabalhar para tirar as crianças dos presídios.

Valeu e até mais

Ricco

O dia que tiramos 8 crianças do presídio e começamos o orfanato. Inesquecível!

“La religión pura y sin mácula delante de Dios y Padre es esta: Visitar los huérfanos y las viudas en sus tribulaciones, y guardarse sin mancha de este mundo.” Tiago 1:27
orfanato2

Uma tarde comum aqui em Puerto Suarez, Bolívia, aquele sol de rachar a cabeça e nós animados indo ao presídio. Estávamos indo tirar oito crianças do presídio para iniciar o orfanato, era 2 de Janeiro de 2013.

Tínhamos a visita do Anderson e da Joice, que vieram de Indaiatuba passar uns dias aqui conosco servindo em missões. Uma ajuda preciosa de pessoas muito legais. Eu, o Anderson e mais dois irmãos da igreja nos preparamos, oramos, e rumamos ao presídio. No dia anterior já tínhamos combinado tudo com os pais e com as crianças. Elas sairiam, de uma vez por todas, do presídio e viriam para o orfanato, o abrigo cristão que iniciamos aqui na Bolívia. Agora sua casa não era mais uma cadeia, um presídio, mas sim um lar cristão!

O orfanato é um abrigo para crianças que não tem uma família e/ou um lar adequado a infância. Nós começamos pensando nas crianças que moravam no presídio com os pais, mas temos recebido crianças abandonadas, abusadas, órfãs.

orfanato1

Para ficar por dentro das notícias do orfanato e ver mais fotos, curta a nossa página no Facebook. Acesse http://www.facebook.com/ExpedicaoMochila e clique em CURTIR.

Ore pelo orfanato, por equipe para trabalhar, por recursos para manter, pelas crianças que sejam restauradas pela Palavra de Deus e pelo poder de Jesus Cristo. O dia 2 de Janeiro de 2013 foi realmente inesquecível e muito marcante para nós aqui na Bolívia, saber que aquelas crianças não iam mais morar, dormir, comer, viver em um presídio no alegrou muito. Mas precisamos de oração e suporte financeiro, pois temos muito trabalho pela frente!

Até mais

Ricco

Volta a Bolívia, rumo ao orfanato

Igreja Água Viva em São Paulo

Estamos de volta a Bolívia depois de quase um mês em São Paulo. Foi um tempo meio de férias e meio a trabalho mobilizando pessoas e igrejas e fazendo reuniões com a equipe da Expedição Mochila. Muito trabalho nos esperava aqui na Bolívia e estamos animados, queremos contar com sua oração. Em SP pudemos visitar amigos, familiares, falar em algumas igrejas dos desafios missionários que estamos envolvidos, e descansar um pouco. Foi um tempo muito bom e somos gratos a Deus por isso. Veja abaixo motivos de oração e como participar de nosso ministério aqui.

Ore

Ore por nossa família: por saúde e segurança; ore pela Beca e pela Rafa que ano que vem começam a ir a escola. Ore pela Lari por sabedoria para se dividir entre a casa e o ministério. Ore por mim para que a Palavra e as visitas edifiquem os jovens e as famílias portenhas.

Ore pelo nosso ministério: que consigamos os mantenedores para o projeto do orfanato sair do papel e possamos tirar muitas crianças de dentro dos presídios onde vivem hoje; e que nosso estágio e colaboração na Igreja Batista de Puerto Suarez glorifique e honre a Deus pela edificação das vidas.

Mãe com seus três filhos no presídio e outra criança no presídio

Participe do orfanato

Voltamos a Bolívia com a missão de organizar o orfanato. Precisamos de recursos: dinheiro e pessoas. O orfanato vai atender primeiramente as crianças dos presídios. Na Bolívia mais de três mil crianças vivem nos presídios com o pai e/ou mãe, na cidade que moramos são 7 crianças que moram dentro do presídio. Uma situação horrível e desumana. Hoje damos atenção a elas em tempo parcial, das 8h as 16h na creche e na base missionária. Temos o OK do governo para iniciar o orfanato e retirá-las de maneira total do presídio, até os pais presos nos apoiam, precisamos da verba. Quer ajudar? Escreva para contato@em.org.br ou deixe um comentário ai com seu contato.

Ajude nosso sustento pessoal

Você pode doar para ajudar nosso sustento pessoal, estamos em uma fase de transição e precisando de um reforço no suporte financeiro. Para doar, use o link ‘SUPORTE‘ ai ao lado esquerdo da página.

Até mais

Ricco

Chamada para oração, Proyecto Esperanza Boliva vem ai!

Daqui da Bolívia seguimos na luta pelas crianças nos presídios bolivianos. Estamos acreditando muito que esta realidade vai mudar. É um grande desafio, mas não vamos retroceder, junte-se a nós! Veja o vídeo abaixo da chamada a oração e depois clique aqui para saber como participar.


caso não veja o vídeo acima clique aqui

Até mais

Ricco

A criança que não queria voltar pra casa, ela mora no presídio!

Desde que chegamos á Bolívia em Janeiro temos trabalhado com as crianças que  moram no presídio. Nunca imaginamos esta situação e oportunidade de trabalho*, Deus conduziu tudo e estamos quebrando a cabeça para fazer o melhor.

Aqui em Puerto Suarez na Bolívia, ficam todos juntos no presídio: homens, mulheres e crianças. Tem de bebê a crianças de 12 anos, e ficam junto com os pais que estão, na maioria dos casos, presos por narcotráfico. Hoje temos um trabalho com dois grupos de crianças que ali estão. Os menores nós levamos a creche e somos responsáveis por tudo, uniforme, transporte, material escolar, documentação, tirar e devolver do presídio. Os maiores são três irmãos, de 9 a 12 anos. Eles vão à escola pela manhã e voltam para casa, no presídio, para almoçar. À tarde, de Quarta a Sexta, nós pegamos eles e trazemos para a base missionária onde tem estudo bíblico, aconselhamento e a escola de futebol, e de Sábado de manhã também tiramos eles do presídio para jogar bola.

Ainda estamos tentando entender toda a situação das crianças nas cadeias da Bolívia, ouvi que em Santa Cruz existem 1200 crianças presas com suas mães! Aqui em Puerto Suarez estamos fazendo a diferença na vida destas crianças reduzindo o tempo e o impacto de viver no presídio, pois ali é a sua casa.

Esta semana ocorreram duas situações bem parecidas, e quero dividir um pouco desta experiência. Há alguns dias atrás quando voltamos da creche, a Maria*, uma das pequenas, sentou na frente do portão de entrada do pátio e ficou olhando para dentro, onde estão as celas. A sua mãe, que esta presa, estava do outro lado da grade e o portão estava aberto. O guarda olhou para a Maria e acenou com a cabeça como quem quer dizer “vamos, entre”. A mãe da Maria pegou sua mão através da grade e disse “venha filha”. E a Maria continuou ali parada, olhando em direção as celas, mas ao mesmo tempo olhando para o nada, sem dizer uma palavra. Neste momento eu perguntei a ela: você não quer entrar? E sua resposta não veio em palavras, ela apenas balançou a cabeça pra direita e esquerda sinalizando que não queria voltar para casa. Sua mãe passou a mão pelo portão aberto, pegou em seu braço e a puxou para dentro.

Hoje, voltando com os garotos do futebol, eu disse para o Paulo* que amanhã os pegaria as duas da tarde para o estudo bíblico na base missionária. Ele me perguntou quando eu os levaria de volta ao cárcere, e eu disse que mais ou menos umas cinco horas da tarde. Ele me olhou, abriu um sorriso e perguntou todo animado: não pode ser as seis ou as sete? Meus olhos se encheram de lágrimas, mas eu me contive e disse que teria que ser as cinco mesmo.

Estas crianças não devem estar na cadeia, ainda que a lei boliviana permita que crianças de até seis anos fiquem com as mães presas, não existem condições adequadas para uma infância saudável dentro dos presídios bolivianos. Nós temos muito trabalho pela frente e eu quero te desafiar a abraçar esta causa junto conosco. Hoje, o que temos na mão é uma base missionária e um projeto que retira por tempo parcial estas crianças do presídio, queremos avançar e construir o orfanato. Vamos mobilizar a sociedade boliviana, o governo, as famílias dos presos e fazer tudo que for possível para mudar esta situação na Bolívia. Sonhamos alto, planejamos o que queremos, mas vamos fazendo o que podemos agora e não desprezamos este pequeno começo!

Junte-se a nós no Proyecto Esperanza
No dia 12 de Outubro é o Dia da Criança no Brasil, as crianças serão lembradas em todo lugar pelo país. Eu quero te desafiar a lembrar das crianças presas aqui na Bolívia. Vou preparar material para uma apresentação do projeto para você usar em uma reunião de oração e mobilização. Estamos chamando de Proyecto Esperanza (Projeto Esperança em espanhol), você deve separar um dia do mês de Outubro, por uma hora ou menos, e organizar um encontro para falar sobre estas crianças, pode ser um chá em sua casa, uma pizzada no restaurante da esquina, um tempo no culto de sua igreja, ou outro momento.

A ideia é que você mostre algumas fotos (que não podem ser divulgadas na internet), compartilhe as histórias, os pedidos de oração, e desafie cada pessoa a continuar orando e mobilizando mais pessoas pelo Proyecto Esperanza. Eu não sabia desta situação das crianças no presídio até chegar aqui na Bolívia, espalharmos a informação é o primeiro passo, temos que contar pra todo mundo sobre estas crianças que não querem voltar para casa, pois moram no presídio. Depois de mostrar a causa temos que chamar as pessoas para fazer algo, neste momento quero oração e ideias.

Em breve vou postar mais detalhes do que vamos chamar de Dia da Esperança. Se você se interessa em fazer parte disto clique aqui e deixe seu nome e e-mail e entramos em contato.

Graças aos meus amigos espalhados pelo mundo, vamos preparar material em inglês, espanhol, francês e alemão. Se você está em algum outro país, que não o Brasil, e quer traduzir o material para outro idioma não citado acima, clique aqui e mande seu nome e e-mail. Quero ver o Dia da Esperança acontecendo em vários cantos do Brasil e do Mundo!

Participe:

Faça seu cadastro neste link

Curta a página do Proyecto Esperanza Bolivia no Facebook

Confirme sua presença aqui no evento no Facebook!

Valeu e até

Ricco

*Notas:
[1] Clique aqui e veja como começou nosso envolvimento com este projeto de crianças no presídio.
[2] Maria e Paulo são nomes fictícios de crianças reais e histórias verdadeiras.