Porque Escola de Futebol e Pastoral Carcerária?

Aqui na Bolívia atuamos em duas frentes de trabalho para alcançar as vidas: Escola de Futebol e Pastoral Carcerária. Temos ainda o orfanato que esta em fase de planejamento e ligado a Pastoral Carcerária.

Como e porque começamos estes dois projetos?
Quando chegamos à Bolívia eu já vim com a ideia de começar uma Escola de Futebol como já fazia no Brasil, em São Paulo, Vila Madalena, o Morrão Futebol Clube. O Morrão FC é um projeto de esporte e estudo bíblico e já acontece desde 2004 em SP. Como eu tenho experiência nesta área e sei que o futebol é uma poderosa ferramenta para alcançar as crianças, jovens e também chegar a seus familiares, já vim para cá com este projeto na mala.

Começamos o futebol com a criançada do bairro usando uma praça ao lado de casa, rapidamente chegamos a 30 garotos. Eu fui buscar apoio a Defensoria de La Niñez (DLN), que é como o Conselho Tutelar no Brasil. Chegando lá conversei sobre o projeto de futebol com a Leslie, psicóloga e coordenadora da DLN, e como podíamos ter uma parceria, já que a escola de futebol ajuda a garantir os direitos da infância. Consegui o ginásio da cidade para dar os treinos!

Antes de encerrar a conversa eu perguntei se existia algo mais que poderíamos fazer pelas crianças de Puerto Suarez e quais eram as áreas mais carentes relacionado a garantia dos direitos da infância aqui em Puerto Suarez Bolívia. A Leslie me apresentou uma situação terrível, que eu nunca esperava ouvir e nunca imaginei que existisse. No presídio de Puerto Suarez algumas crianças ficam presas junto com seu pai ou mãe, e mais, no presídio ficam todos juntos: homens, mulheres e crianças.

O que acontece é que algumas pessoas que vão presas não têm parentes fora da cadeia que possa ficar com seus filhos. Ou o familiar mora longe ou é muito pobre e não tem condições de criar um ou mais filhos, que gera despesas, cuidados e atenção. Com isso, a criança vai para a cadeia junto com a mãe ou o pai, e vive com outros presos a rotina e dia-a-dia de um presídio, que por si só já tem condições horríveis até para os adultos, imagina para as crianças que tem entre 2 e 9 anos. A maioria das crianças vai presa junto com a mãe, mas já pegamos um caso de uma menina estar presa com o pai.

Conversando com a Leslie, da DLN, fizemos um projeto em duas fases. A primeira fase começou imediatamente no outro dia, retiramos as crianças do presídio das 8h as 16h e as levamos para uma creche, demos uniforme, material e o transporte diário de ida e volta. Mas elas ainda dormem no presídio e passam lá o fim de semana inteiro. A segunda fase do projeto é iniciar um orfanato, onde estas crianças ficariam em definitivo enquanto sua mãe ou pai estão presos. E o orfanato atenderia outras situações com crianças em maus tratos, órfãos, abandono ou extrema pobreza. Aqui na região ainda não existe nenhum orfanato. E o acordo é que nenhuma criança vá mais ao presídio, quando alguém for preso e não tiver com quem deixar os filhos, as crianças serão direcionados ao orfanato e ficarão lá até a soltura do seu pai ou mãe, ou até que um familiar queira cuidar provisoriamente, e claro, apresente condições para isso.

Depois que começamos a ir ao presídio para atender as crianças, conversei com alguns presos e policiais e iniciamos um culto uma vez por semana para os adultos. Eles não tinham nenhum tipo de assistência espiritual. Hoje, além do culto, já temos um discipulado, aconselhamento e estamos preparando um curso de escola bíblica e nosso primeiro batismo.

“Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do SENHOR permanecerá.” Provérbios 19:21

A Escola de Futebol e a Pastoral Carcerária são nossas atividades de evangelismo. Começamos a fazer reuniões na Base Missionária e cremos que as vidas alcançadas virão ouvir a Palavra e congregar aqui na base e assim estamos iniciando uma pequena congregação, plantando uma igreja.

Agora você já sabe como e porque estamos envolvidos nestes dois projetos. A Escola de Futebol eu já tinha em mente ao vir a Bolívia, a Pastoral Carcerária eu não fazia a menor ideia que ia rolar, muito menos a questão do orfanato. Creio que Deus esta conduzindo tudo e fazendo a vontade d’Ele. Algo muito legal é que estes são trabalhos inéditos para estes públicos aqui na cidade de Puerto Suarez. Os meninos da Escola de Futebol não participavam de nada na área esportiva fora do período do colégio. E no presídio nenhum missionário ou pastor fazia culto ou dava atenção à questão das crianças e dos presos.

Ore pela Escola de Futebol e pela Pastoral Carcerária! Ore também pelo Orfanato: uma propriedade adequada para alugar e um casal de missionários para se juntar a nós na equipe.

Veja mais fotos abaixo:
[portfolio_slideshow]

Valeu e até

Ricco

2 comentários sobre “Porque Escola de Futebol e Pastoral Carcerária?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *