Madeira para quê?

cuidado missionario

Neemias é conhecido pela obra de reconstrução em Jerusalém depois do exílio do povo judeu. Ele reformou os muros e as portas da cidade e deu início a reconstrução do templo. Para começar o projeto, ainda no exílio, ele orou e depois fez uma lista de recursos que iria precisar. Um de seus pedidos foi por madeira.

“…me forneça madeira para as portas da cidadela que fica junto ao templo, para os muros da cidade e para a residência que irei ocupar…” Neemias 2.8

Ele pediu madeira ao rei para três coisas: (1) as portas da cidade; (2) os muros da cidade; (3) a sua própria residência. Quem lê Neemias quase não percebe que ele tinha uma casa para voltar todos os dias após o trabalho. A dinâmica da história nos leva a imaginar um Neemias que só trabalha, não existe nada dizendo que ele ia para casa descansar. Lemos sobre um homem que está sempre pensando nos muros, nos inimigos, na equipe e nas estratégias para a obra não parar. Quase o livro inteiro fala de trabalho, de ministério, mas em 2.8 vemos um assunto pessoal. A sua casa era parte do projeto de reconstrução, e Neemias entendeu a importância disto.

Não encontrei outra referência a casa de Neemias, apenas na lista dos pedidos de madeira em 2.8. E ele deixa bem claro o propósito daquela casa: a residência que irei ocupar. Pense um pouco na importância do tempo que Neemias passava em sua casa. Ali devia orar, meditar na Palavra, dormir, se alimentar, renovar as forças, ter seus momentos pessoais longe do trabalho.

Os relatórios missionários de hoje quase sempre falam só de projetos e resultados. Um projeto define e justifica a vida e o tempo dos missionários no campo, isso é importante. Porém devemos pensar no missionário e não só nos projetos. O cuidado do missionário deve ser parte dos resultados. Deus sempre se importou com a casa daqueles que estão envolvidos em Seus projetos.

A casa é mais do que um local para morar. Ela significa o suprimento das necessidades pessoais do missionário. Este cuidado é fundamental. A atenção com a equipe deve ser tão celebrada quanto os resultados dos projetos. Cada vez mais falam de CIM – Cuidado Integral do Missionário – quando pensam em missões. Ao longo dos anos estão percebendo que bons projetos não deveriam ser “bons” se não incluir nos resultados o cuidado do missionário e sua família.

Eles não querem conforto ou luxo e nem uma carreira que traga riqueza e estabilidade, caso contrário não seriam missionários. Mas precisam de cuidado para que no final suas vidas e famílias não fiquem esfarrapadas. Mesmo apresentando bons resultados de seus projetos, nem sempre os missionários estão bem! É um desafio para todos que estão envolvidos na missão: madeira para a obra, madeira para a casa do obreiro.

Ore pelas equipes de missionários e ajude suas casas a continuarem supridas. Ore para Deus te mostrar missionários e como você pode se envolver e colaborar com eles, e não apenas com os projetos. Muitas vezes é difícil separar o projeto no campo da vida pessoal do missionário e sua família, mas creia, está separação existe!

Ricardo Silva – Ricco
Coordenador Expedição Mochila
Missionário na Bolívia