Projeto com crianças dos presídios na Bolívia na Revista Ultimato

ultimato (4)

Leia a matéria, Saiu na Ultimato de Set/Out 2015:

As crianças presas em Puerto Suarez

Elas são crianças e vivem encarceradas. Mas nunca cometeram crime algum. O que parece um erro judicial acontece normalmente na Bolívia. Segundo o UNICEF, no período de 2000 a 2008, as crianças que moraram em presídios com seus pais chegaram ao número de 1.168 (17% da população carcerária). As crianças representam mais de 42% (quase 4 milhões) da população boliviana.

O brasileiro Ricardo Silva, o “Ricco”, chegou em Puerto Suarez, fronteira com o Brasil, com a missão de fundar igrejas. Ele passaria um tempo específico para cumprimento do estágio transcultural do curso teológico que fazia. Ricco começou a visitar a população, e um dia foi convidado a realizar um culto na cadeia da cidade. Chegando lá, ele viu crianças brincando e achou que era dia de visita familiar, e logo disse: “eu volto outro dia; hoje é dia de visita”. Mas o guarda respondeu: “não, não é dia de visita”. Então Ricco entendeu que aquelas crianças não estavam visitando suas mães; elas moravam lá.

Ricco não abandonou seu chamado de fundar comunidades cristãs. Mas entendeu que Deus havia dado a ele a missão de acolher crianças que não podiam exercer o direito básico da liberdade porque suas mães estavam cumprindo penas. Ele então fundou a Casa Lar Redención. Começou assim: ele e sua família cuidavam dos pequenos durante o dia e os levavam de volta para a cadeia à noite. Hoje, as crianças moram lá e recebem todo o cuidado necessário. A estrutura é pequena, mas é a única instituição num raio de 300 quilômetros. O projeto, que hoje cuida de 13 crianças, se tornou um poderoso testemunho do amor de Deus.

Ricco chegou com um plano – fundar igrejas. Mas lá, descobriu que já havia muitas igrejas. Por outro lado, ninguém enfrentava o problema das crianças na cadeia. Ricco entendeu que o plano seria outro; seria responder às necessidades dos pequeninos. Moral da história? Atualmente, nenhuma criança mora na cadeia de Puerto Suarez.

Fonte: Revista Ultimato / texto de Lissander Dias

Madeira para quê?

cuidado missionario

Neemias é conhecido pela obra de reconstrução em Jerusalém depois do exílio do povo judeu. Ele reformou os muros e as portas da cidade e deu início a reconstrução do templo. Para começar o projeto, ainda no exílio, ele orou e depois fez uma lista de recursos que iria precisar. Um de seus pedidos foi por madeira.

“…me forneça madeira para as portas da cidadela que fica junto ao templo, para os muros da cidade e para a residência que irei ocupar…” Neemias 2.8

Ele pediu madeira ao rei para três coisas: (1) as portas da cidade; (2) os muros da cidade; (3) a sua própria residência. Quem lê Neemias quase não percebe que ele tinha uma casa para voltar todos os dias após o trabalho. A dinâmica da história nos leva a imaginar um Neemias que só trabalha, não existe nada dizendo que ele ia para casa descansar. Lemos sobre um homem que está sempre pensando nos muros, nos inimigos, na equipe e nas estratégias para a obra não parar. Quase o livro inteiro fala de trabalho, de ministério, mas em 2.8 vemos um assunto pessoal. A sua casa era parte do projeto de reconstrução, e Neemias entendeu a importância disto.

Não encontrei outra referência a casa de Neemias, apenas na lista dos pedidos de madeira em 2.8. E ele deixa bem claro o propósito daquela casa: a residência que irei ocupar. Pense um pouco na importância do tempo que Neemias passava em sua casa. Ali devia orar, meditar na Palavra, dormir, se alimentar, renovar as forças, ter seus momentos pessoais longe do trabalho.

Os relatórios missionários de hoje quase sempre falam só de projetos e resultados. Um projeto define e justifica a vida e o tempo dos missionários no campo, isso é importante. Porém devemos pensar no missionário e não só nos projetos. O cuidado do missionário deve ser parte dos resultados. Deus sempre se importou com a casa daqueles que estão envolvidos em Seus projetos.

A casa é mais do que um local para morar. Ela significa o suprimento das necessidades pessoais do missionário. Este cuidado é fundamental. A atenção com a equipe deve ser tão celebrada quanto os resultados dos projetos. Cada vez mais falam de CIM – Cuidado Integral do Missionário – quando pensam em missões. Ao longo dos anos estão percebendo que bons projetos não deveriam ser “bons” se não incluir nos resultados o cuidado do missionário e sua família.

Eles não querem conforto ou luxo e nem uma carreira que traga riqueza e estabilidade, caso contrário não seriam missionários. Mas precisam de cuidado para que no final suas vidas e famílias não fiquem esfarrapadas. Mesmo apresentando bons resultados de seus projetos, nem sempre os missionários estão bem! É um desafio para todos que estão envolvidos na missão: madeira para a obra, madeira para a casa do obreiro.

Ore pelas equipes de missionários e ajude suas casas a continuarem supridas. Ore para Deus te mostrar missionários e como você pode se envolver e colaborar com eles, e não apenas com os projetos. Muitas vezes é difícil separar o projeto no campo da vida pessoal do missionário e sua família, mas creia, está separação existe!

Ricardo Silva – Ricco
Coordenador Expedição Mochila
Missionário na Bolívia

Ótima matéria sobre crianças nos presídios bolivianos

Mais uma boa maneira de você conhecer um pouco mais sobre o desafio que temos enfrentado aqui na Bolívia. A boa notícia é que podemos fazer algo pelas crianças, e estamos fazendo. Assista o vídeo abaixo ou clique aqui. Junte-se a nós pelas crianças bolivianas, saiba mais em www.em.org.br

Aqui tem uma lista de matérias, reportagens e vídeos com bastante informações sobre o tema crianças nos presídios bolivianos.

Abração

ricco

Criança que não sabe escrever também pode fazer a lista de compras

Eu tenho duas filhas, uma sabe escrever e outra ainda não. A que sabe escrever sempre quer fazer a lista de compras e a outra, que não sabe escrever, quer fazer também. Encontramos uma maneira simples de ajudar seu filho que não ainda não escrever a fazer a lista de compras. Ah, eu tenho mais uma filha, mas esta não importa ainda com a lista de compras!


caso não veja o vídeo acima clique aqui

Batismo no presídio da Bolívia

Uma imagem vale mais que mil palavras. O C. estava preso e foi alcançado pelo Evangelho com os cultos no presídio da Bolívia. Estava convicto de sua fé e se preparou para o batismo, mas uma semana antes (do batismo) ele ganhou a liberdade. Para minha surpresa, ele voltou ao presídio só para se batizar. Pediu uma permissão especial aos guardas para entrar na cadeia de novo, foi batizado, chorou muito, e me disse: “Pastor, foi aqui que eu conheci a Cristo, e é aqui que e queria ser batizado, pois foi na cadeia que me tornei um novo homem. E esta é a lembrança que quero levar dos anos na prisão: o lugar que conheci a Cristo e fui batizado, agora eu saio como um novo homem”.

Ai, até eu chorei…

batismo-bolivia-presidio

Veja mais fotos do batismo abaixo
[portfolio_slideshow id=513]

Acampamento da Igreja Vida em Goiânia – GO

Tivemos um tempo muito legal e abençoado no Acampamento de Jovens e Adolescentes com a Igreja Vida em Goiânia – GO. Além da oportunidade de ministrar a Palavra e falar do projeto na Bolívia com as crianças nos presídios, pudemos fazer novos amigos e conhecer gente muito legal.

Queremos agradecer especialmente ao Pr Mario e Adriana, Pr Kenedy, Marcelo e Marília, Pra Lilian. Todos eles foram muito benção me nossas vidas. Agora temos um compromisso de amizade de parceria pelo reino de Deus.

Aqui um informativo da igreja com informações e fotos do retiro.

Valeu

Ricco

O cuidado que não é cuidado

Eu amo ensinar a Bíblia para as crianças do orfanato. E elas ainda recebem comida, uma boa cama, educação, saúde. Mas tenho sido incomodado com um pensando, e esta ideia me aflige especialmente quando saio do orfanato a noite e volto para minha casa. Quais os cuidado que uma criança precisa? Eu nunca vou suprir o que elas realmente precisam, todo amor e afeto que dou a elas nunca será igual ao amor e afeto que uma criança recebe em um contexto familiar.

email_familia

Deus tem me desafiado a me envolver mais ainda com elas. E isto não tem a ver com dar um bom par de tênis ou fazer um churrasco de vez em quando no orfanato, tem a ver com amor, afeto, carinho, envolvimento. Eu sei que nunca vou conseguir tratar estas crianças como trato minhas filhas Rebeca e Rafaela, mas Deus tem me cobrado para amá-las mais. E eu achando que fazia muito (pobre orgulho), Deus vem e mostra que é possível amar mais. Estou fazendo um desabafo, conto com suas orações por isto!

“Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.” 1 Coríntios 13.13

Ore também pela saúde da Lari, a gravidez e o bebê que vem ai, ore pela Rafaela que tem estado mal de saúde nestes dias.

Se além de orar, quiser contribuir com o sustento de nossa família, clique aqui ou entre em contato.

Valeu

Ricco

Nosso papel é ser um pouco de cada…

DSC09405blog

Um pouco pai, um pouco pastor, um pouco amigo, um pouco educador.

É assim que seguimos nosso ministério aqui na Casa Lar da Expedição Mochila na Bolívia. Na foto comigo estão o Carmelo, o Isael e o Erlan. Três garotos que chegaram aqui por motivos diferentes e temos aprendido juntos sobre o amor de Deus e a amizade.

É um prazer e um privilégio servir aqui ao lado deles aqui sendo um pouco de cada vez a cada dia!

“…Sé fiel hasta la muerte, y yo te daré la corona de la vida.” Apocalipse 2.10 RV

Ricco

O ministério missionário da Beca e da Rafa

familiahogar2

Ai estão nossas filhas Beca e Rafa com Amilton e Judith da Casa Lar da Expedição Mochila na Bolívia. Nossas filhas se misturam com as crianças da Casa Lar, brincam, se divertem, adoram estar com eles. E assim elas cumprem o ministério missionário junto conosco, simplesmente sendo criança!

Este é um motivo de louvor, a maneira que servem a Deus conosco hoje e como Deus tem cuidado delas.

Até mais

Ricco